Bruta Fera

Os meus precipícios estão rasos
não há mais chances para fórmulas de felicidade
só me restou o prazer efêmero,
o risco
E ando profundamente interessada no
intermitente e no que
[não promete nada]
Quero o que fere e cura minha carne,
fere e cura
simultaneamente
Feridas profundas,
sangue que jorra
Tomo do meu sangue e dele extraio
o antídoto para
meu próprio veneno
Os lábios encarnados designam meu ser
[Bruta fera]
Tiro da tua pele apenas o que me convém
És pequeno,
servo, tolo
Não percebes minhas garras, minhas presas
Conjugo o prazer contigo,
mas antes que amanheça,
há outro em teu lugar
Anoitece, chamo teu nome com voz branda,
porque sou mansa
[fera].

Anúncios

Um comentário sobre “Bruta Fera

  1. Usually I don’t learn post on blogs, but I wish to say that this write-up very compelled me to check out and do so! Your writing taste has been amazed me. Thanks, very great post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s